Vacinação pode Prevenir Deficiência

Vacinação pode Prevenir Deficiência

Periodicamente, o governo brasileiro promove uma campanha de multivacinação. A intenção é imunizar ou proteger contra vírus de doenças infecto-contagiosas as mais de 16 milhões de crianças existentes no país, na faixa etária de 0 a 5 anos, das quais mais de 3 milhões encontram-se em São Paulo.

Em geral, as crianças recebem doses contra sarampo, caxumba, rubéola, difteria, tétano, coqueluche e poliomielite.

As campanhas de vacinação contribuíram para tirar o país da lista dos que ainda são atingidos pela paralisia infantil. Há cerca de dez anos o Brasil erradicou a incidência de casos de poliomielite, doença infecciosa provocada por vírus que causa a paralisia infantil.

A maioria dos infectados pelo vírus da poliomielite apresenta inicialmente sintomas como febre, mal-estar, dores musculares, distúrbios gastrointestinais, rigidez na nuca e, por último, paralisia irreversível dos membros inferiores.

O vírus da poliomielite entra no organismo pela boca, multiplicando-se na faringe e pode, principalmente, afetar as crianças com idade até cinco anos.

Outras doenças que podem causar deficiência, se não forem evitadas pela vacinação, são sarampo e rubéola. O sarampo pode causar deficiência visual se estiver associado a quadro de desnutrição. É uma doença infecto-contagiosa causada por vírus. Seus sintomas são febre alta, tosse, olhos vermelhos e inflamados e manchas vermelhas pelo corpo.

A rubéola também é uma doença infecto-contagiosa causada por vírus. Seus sintomas são febre baixa, dor de cabeça, mal-estar e ínguas na nuca e no pescoço. Se uma gestante a contrai, o bebê corre o risco de nascer com deficiência.

Voltar


Copyrights © 2015 - Semear - Associação para Integração e Apoio as Pessoas com Deficiência - Site by: Beesoft